Stent Cardíaco

Fonte: Google imagens

O stent é um pequeno dispositivo expansível de forma tubular, feito de nitinol, aço inoxidável ou uma liga de cromo e cobalto, que é inserido no interior de uma artéria para prevenir ou evitar a obstrução do fluxo no local. Sua principal função é restaurar a corrente sanguínea na artéria coronária e trazer um ritmo quase normal.

Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza para aos seus usuários dois tipos de stents: os convencionais (para artéria coronária) e os farmacológicos (para uso nas intervenções endovasculares cardíacas em pacientes diabéticos e com lesões em vasos finos).

As doenças cardiovasculares seguem entre as principais causas de mortalidade mundial e a arterial coronariana (DAC) permanece com uma das principais doenças do século 21. No Brasil, dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus) mostram que as doenças cardiovasculares são responsáveis por cerca de 30% dos óbitos.

Em pacientes diabéticos, a doença coronariana apresenta maiores riscos de complicações e menores taxas de sucesso do procedimento do que os sem diabetes. O que também pode ser atribuído como base de maior gravidade.

Prevenção

A boa notícia é que podemos reverter esse quadro de maneira simples e eficaz.

As doenças do coração são frequentemente desencadeadas por fatores de riscos, como: pressão alta, colesterol alto, sedentarismo, obesidade, tabagismo e diabetes. Estes fatores, em grande escala, podem ser prevenidos e controlados por mudanças de hábitos simples, como: alimentação equilibrada, prática regular de exercícios físicos e redução no consumo de sal.

Acesse o relatório técnico da Conitec, com informações detalhadas sobre a análise do procedimento, neste link.

 

 

 

Fonte: Conitec

http://conitec.gov.br/ultimas-noticias-3/stent-cardiaco

Caso não consiga fazer o download pelo botão, faça-o por aqui.

Você também vai se interessar por...